---

10 dicas para quem está a pensar pedir um crédito automóvel

Para aqueles que pretendem comprar um carro, seja ele novo ou usado, existem várias opções de financiamento, sendo o crédito automóvel a opção mais comum.
Para aqueles que pretendem comprar um carro, seja ele novo ou usado, existem várias opções de financiamento, sendo o crédito automóvel a opção mais comum.

Para aqueles que pretendem comprar um carro, seja ele novo ou usado, existem várias opções de financiamento, sendo o crédito automóvel a opção mais comum. Como pagar a pronto não é uma solução para a grande maioria das pessoas, é muito importante, por norma, que se conheçam todos os tipos de empréstimos automóveis que existem no mercado antes de se tomar a decisão final. Apenas desta forma conseguirá encontrar a melhor opção para o seu caso particular.

 

Lembre-se que nos últimos anos, devido à recuperação económica, o crédito automóvel tem-se tornado mais acessível, existindo, também por isso, um maior interesse por parte dos portugueses em trocar de carro. O mercado está, portanto, cada vez mais dinâmico e competitivo, o que lhe pode valer um excelente negócio caso esteja a ponderar comprar carro neste momento.

 

1. Calcule a sua taxa de esforço

Antes de começar à procura do crédito ideal para si, deve analisar cuidadosamente o seu orçamento e calcular a sua taxa de esforço. A taxa de esforço é a percentagem do rendimento mensal que é utilizada para o pagamento dos créditos. o recomendado é que esta taxa se situe à volta dos 33%. Se já se encontra a pagar outros créditos, deve procurar entender qual o valor mensal disponível que tem para pedir um novo crédito. Só depois de fazer este exercício é que será capaz de ir à procura da melhor solução de empréstimo automóvel para si.

 

2. Defina um valor de entrada máximo

Ainda antes de decidir qual o tipo de empréstimo que irá pedir, deve calcular muito bem qual é o valor máximo que conseguirá dar de entrada para a compra do automóvel. Na maior parte das vezes um bom valor de entrada poderá poupar-lhes alguns milhares de euros extra. Contudo, tem de fazer as suas contas considerando todas as suas despesas, de modo a que não coloque em causa a saúde do seu orçamento. Assim que tiver bem definido o valor de entrada máximo que poderá dar, já estará em condições de fazer uma pesquisa mais consciencializada.

 

3. Considere todos os custos associados ao automóvel

Além de pensar no dinheiro que tem disponível para efetuar o pagamento das prestações mensais do crédito, terá ainda de considerar todos os custos associados ao carro que irá comprar. Por exemplo, alguns carros mais comuns têm um menor custo de manutenção, sendo mais fácil e barato arranjar peças para eles. Outros carros mais raros acarretam custos de manutenção superiores. No processo de decisão deve ter todos estes números em conta, estimando quanto lhe irá custar, na verdade, o carro. Quer esteja a pensar em comprar um carro novo ou usado, o seu foco deve ser determinar quanto realmente pode pagar por ele, depois de considerados os valores da entrada, dos pagamentos mensais associados ao crédito automóvel e os custos de manutenção. Desta forma, será capaz de perceber qual a fatia do seu orçamento que poderá ser gasta no automóvel.

 

4. Decida entre o crédito automóvel ou o crédito pessoal

O crédito automóvel é sem dúvida o mais escolhido pelos portugueses para o financiamento da compra de um carro. Este crédito é também dos poucos que oferece a possibilidade de financiamento para a compra de carros usados. Contudo, quando estiver a considerar as várias opções de empréstimo para comprar um automóvel, deve lembrar-se que esta não é a única opção. O crédito pessoal também poderá ser pedido para a compra de um automóvel. Porém, este crédito não é, habitualmente, o mais competitivo quando comparado com o crédito automóvel, por exemplo, mas é um crédito ao qual tem mais facilmente acesso. Isto é, ninguém lhe pergunta qual é a finalidade do crédito e pode usufruir de prazos bastante alargados, pagando assim uma prestação mais baixa. Ambos acabam por ter vantagens e desvantagens, tem apenas de perceber quais são as características mais importantes para a sua situação que o crédito que escolher tem obrigatoriamente de oferecer.

 

5. Pondere um crédito automóvel com reserva de propriedade

O crédito automóvel com reserva de propriedade consiste na aprovação do crédito por parte de uma instituição financeira que regista o seu direito sobre o automóvel em causa. O cliente não tem de pagar qualquer entrada inicial, mas no final ou durante o contrato, e em caso de incumprimento do pagamento mensal do crédito, o banco pode ficar-lhe com o carro. Ou seja, no caso do crédito automóvel com reserva de propriedade, a garantia que o cliente dá à instituição financeira é o próprio veículo. Esta é uma solução que apresenta, por norma, uma TAEG (Taxa Anual Efetiva Global) mais baixa, sendo, por isso, o preço a pagar pelo crédito inferior. Deve, porém, ter sempre muita atenção para não se colocar numa posição de incumprimento, uma vez que se isso acontecer, além de ficar sem carro, o crédito pode-lhe sair ainda mais caro do que os outros créditos tradicionais.

 

6. Considere a possibilidade de renting

Cada vez mais a comodidade e a mobilidade na utilização de um automóvel são valorizadas em detrimento da importância da propriedade. Dado isto, o renting automóvel é cada vez mais uma opção válida para os portugueses. Uma das grandes vantagens do renting automóvel, ou seja, do aluguer de um automóvel, é-lhe garantida a mesma mobilidade de ter uma viatura própria por um custo mensal fixo. Este custo incluirá a manutenção, os pneus, os impostos, os seguros, a assistência em viagem, entre outros. Ou seja, com o renting não tem despesas inesperadas com o seu carro, você saberá sempre qual o custo que tem a pagar pela sua utilização. Quem tem um carro conhece bem todas as despesas que se podem somar à compra de um carro - as prestações do crédito, os impostos, os seguros, as manutenções e etc. Com o renting, você não tem estas preocupações, uma vez que a sua despesa será fixa. Todos os riscos associados ao seu automóvel são transferidos para a empresa na qual fez o renting, uma vez que é essa mesma empresa a proprietária do automóvel. Esta é uma excelente solução para as pessoas que não têm a necessidade de adquirir o sentimento de posse sobre o carro que utilizam e que estão em constante movimento, sendo que o carro adequado às suas vidas hoje pode ser diferente amanhã.

 

7. Decida se vai optar por leasing

O leasing é uma opção de financiamento cada vez mais comum, sobretudo quando falamos na compra de um automóvel. O leasing consiste numa modalidade de financiamento através da qual o locador (a instituição financeira) concede ao locatário (o cliente) um bem móvel ou imóvel, mediante o pagamento de uma prestação mensal, por determinado prazo, ficando o cliente com uma opção de compra no final do mesmo prazo. No final de um contrato de leasing, o cliente tem três opções de escolha: devolver a viatura, trocá-la ou comprá-la, pagando o valor residual necessário. Ou seja, um leasing não é nada mais senão um contrato de arrendamento com opção de compra no final, onde estão estipuladas as rendas e o valor da venda, sendo que durante a vigência do contrato de leasing as viaturas permanecem como propriedade da entidade financeira. Esta opção, embora apresente, por norma, comissões superiores a outros tipos de financiamento, adequa-se às necessidades de cada vez mais pessoas, com estilos de vida dinâmicos, com grande mobilidade e que colocam o ênfase no conforto e não no sentimento de posse dos bens.

 

8. Conheça a possibilidade de ALD Automóvel

O ALD Automóvel - Aluguer de Longa Duração de Automóvel - é uma solução de financiamento que permite ao cliente utilizar um veículo, durante um determinado período de tempo, mediante o pagamento de mensalidades atrativas. Esta modalidade difere do leasing pelo facto de o cliente ser sempre obrigado a comprar o veículo no final do contrato. No final de um contrato de ALD, o cliente não tem opção de escolha, ele tem de comprar o carro, sendo inclusive obrigatório um contrato de promessa de compra e venda. Uma grande vantagem deste tipo de contratos é que você tem a facilidade de ajustar o valor da mensalidade a pagar de acordo com o seu orçamento, tornando-os mais flexíveis neste aspeto.

 

9. Determine a duração do pagamento do empréstimo

Atualmente, os créditos automóveis têm, em média, a duração de 5 a 6 anos. Como seria de prever, ao aumentar a duração do pagamento do seu empréstimo, você vai conseguir baixar o valor da sua prestação mensal, mas vai acabar por pagar mais juros. O aconselhável é que escolha um crédito curto para não pagar tantos juros. É, então, necessário que determine qual a duração que quer que o seu contrato de crédito tenha, calculando os seus interesses entre o valor da prestação mensal que terá de pagar e os juros associados ao prazo de pagamento.

 

10. Procure o melhor crédito automóvel para si

Quantas mais simulações fizer, melhor. Apenas assim conseguirá conhecer as melhores ofertas do mercado para a sua situação em particular. O melhor crédito para uma pessoa normalmente não o é para outra, diferentes orçamentos e diferentes perspetivas de vida podem interferir bastante na escolha de um crédito automóvel. O tipo de automóvel que irá comprar, se é novo, se é usado, se pertence uma gama alta, baixa ou média, todas estas questões, associadas aos seus rendimentos e despesas, são fundamentais na pesquisa pelo melhor crédito. É fundamental que procure sempre uma solução à medida e não uma solução padrão ou popular. Procure uma instituição que lhe ofereça essa flexibilidade e customização.

 

Agora que já conhece todas as possibilidades de financiamento para a compra do seu carro, comece à procura do crédito automóvel ideal para si. Faça aqui a sua simulação para um crédito automóvel AMCO Crédito e descubra se o mesmo preenche todos os seus requisitos.

Subscreva a nossa newsletter